May 29, 2024
×

Atenção

JUser: :_load: Não foi possível carregar usuário com ID: 43

Fator Previdenciário reduz em até 40% as aposentadorias há mais de dez anos

Sintapi/CUT

O Sindicato Nacional dos Trabalhadores Aposentados, Pensionistas e Idosos (Sintapi-CUT) está reforçando a convocação da Marcha das centrais sindicais e movimentos sociais para Brasília no próximo 6 de março. A manifestação tem entre as suas principais bandeiras a luta pelo fim do fator previdenciário e pala valorização dos benefícios.

“Há mais de dez anos o fator previdenciário vem lesando milhões de trabalhadores que se aposentam com a redução de até 40% nos seus benefícios”, denunciou o presidente do Sintapi-CUT, Epitácio Luiz Epaminondas (Luizão), para quem “já passou da hora de por fim a este criminoso e vergonhoso redutor”.

Mais do que uma reivindicação de um segmento, apontou Luizão, “o fim do fator é uma exigência da sociedade, que amplia a pressão para que a Câmara dos Deputados vote ainda no primeiro semestre o projeto que põe fim a esta barbaridade, que vai na contramão dos interesses do povo brasileiro”.

Dos 28 milhões de aposentados e pensionistas brasileiros, assinala o presidente do Sintapi-CUT, 73% estão na base da pirâmide, recebendo tão somente o salário mínimo. De acordo com o Dieese, entre 1995 e 2011, o aumento real acumulado da aposentadoria foi de 25,25%, enquanto o do salário mínimo nesse mesmo período foi de 522%.

A valorização dos benefícios, defendeu Luizão, “mais do que uma questão de justiça, é uma questão de sobrevivência, pois os ganhos têm sido reduzidos justamente para os que mais precisam, no momento em que crescem os gastos”. “Num país em que o preço dos remédios é exorbitante e que o sistema público de saúde patina, enquanto o sistema privado e as parcerias público-privadas se expandem, reduzindo os seres humanos a meros consumidores, reduzindo a vida a cifrões”, frisou.

Na avaliação do Sintapi, a Marcha também contribuirá para que a entidade reforce a sua estratégia de ocupação dos espaços de democracia participativa, com maior atuação nos Conselhos de Saúde (municipais, estaduais e federal), da Previdência (regionais e federal) e também no do Idoso.

“A solidariedade e o companheirismo da CUT Nacional, das estaduais e dos Ramos têm sido fundamental para ampliar a mobilização do nosso segmento, o que é chave para o êxito da Marcha. Estamos nos somando às caravanas e vamos garantir a visibilidade necessária para bandeiras que interessam a esta e às futuras gerações”, concluiu Luizão.

Facebook