May 22, 2024
×

Atenção

JUser: :_load: Não foi possível carregar usuário com ID: 43

Sem acordo, operários organizam greve nas obras do estádio Beira-Rio a partir desta terça (15)

CUT

Descontentes com a proposta de reajuste salarial apresentada pela Andrade Gutierrez, uma das construtoras responsáveis pelas obras de reforma e modernização do Estádio Beira-Rio, que sediará os jogos da Copa do Mundo 2014, os operários poderão deflagrar uma greve por tempo indeterminado a partir desta terça (15) caso a reivindicação de 15% de aumento não seja atendida.

Uma nova reunião entre a construtora e o Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Construção Pesada do Rio Grande do Sul (Siticepot-RS) será realizada na manhã desta segunda-feira (14). Conforme informou Isabelino Garcia, presidente do Sindicato, se houver uma proposta que atenda as reivindicações dos operários, ela será encaminhada para avaliação  dos trabalhadores ainda hoje. Mas caso não ocorra avanços, uma assembleia será convocada para a manhã desta terça (15) onde será deflagrada uma greve por tempo indeterminado.

 

“É difícil ocorrer um acordo nesta reunião se levarmos em consideração a maneira com a construtora tem se portado, totalmente intransigente. Até tínhamos uma relação de confiança que foi quebrada por uma série de fatores, como o desvio de função, o desrespeito de alguns encarregados com os trabalhadores, o departamento médico da empresa que não respeita os operários”, relatou Isabelino.

Duas reuniões com representantes da construtora foram realizadas na semana passada. A primeira, que ocorreu na quarta após paralisação parcial das obras, construiu alguns avanços, como o vale-alimentação que foi reajustado de R$ 160 para R$ 200 por mês, além da ampliação da baixada de cinco para nove dias, que corresponde ao período de folgas concedidas a cada três meses para que os trabalhadores visitem seus familiares, mas alguns pontos ainda ficaram pendentes.

Além da questão salarial, outra reivindicação negada pela construtora foi o adicional de 100% sobre todas as horas-extras. Em assembleia realizada na quinta, outras duas reivindicações foram acrescidas: retirada dos encarregados do canteiro de obras e a modificação do quadro médico, inserindo profissionais qualificados que respeitem os operários.

Facebook