Nov 19, 2017

Mais de 30 mil pessoas exigem Fora Temer e Diretas Já nas ruas de Porto Alegre

Em defesa da democracia, mais de 30 mil pessoas saíram às ruas do centro de Porto Alegre no início da noite desta quinta-feira (18), gritando palavras de ordem como “Fora Temer” e “Diretas Já”. Após concentração na Esquina Democrática, onde foi realizado um ato com pronunciamentos de centrais sindicais e movimentos sociais, os manifestantes foram em caminhada pela avenida Borges de Medeiros até o Largo Zumbi dos Palmares. Além de trabalhadores, a mobilização atraiu muitos jovens.

Na esquina da rua Jerônimo Coelho com a Borges, um pelotão do batalhão de choque da Brigada Militar estava postado para impedir que os manifestantes fossem até o Palácio Piratini, na Praça da Matriz. O trajeto entre a Esquina Democrática e o Largo Zumbi dos Palmares transcorreu sem incidentes.

Ato diretas já-4

Após o término dessa caminhada, um grupo de manifestantes se dirigiu para a esquina da avenida Ipiranga com a Érico Veríssimo, onde está localizado o prédio do jornal Zero Hora e da Rádio Gaúcha, do grupo RBS. O choque da Brigada impediu a aproximação desse grupo e chegou a lançar algumas bombas de gás contra os manifestantes. Até o final da noite,  não havia registro de detidos ou feridos.

No final da noite, em meio às notícias sobre os áudios das gravações envolvendo Michel Temer e Aécio Neves, os manifestantes combinavam a participação no ato desta sexta-feira, às 17h30, atendendo ao novo chamamento das frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo, que anunciaram a intensificação dos atos de rua nos próximos dias para acelerar a queda do governo e interromper a tramitação no Congresso Nacional das reformas da Previdência e trabalhista no Congresso Nacional. No próximo domingo (21) haverá ato no Parque da Redenção e na quarta-feira (24) está prevista uma ocupação em Brasília, além de novo ato na Esquina Democrática.

A mobilização desta quinta-feira foi uma resposta contundente em menos de 24 horas à denúncia bombástica contra o presidente golpista Michel Temer (PMDB), divulgada no início da noite de quarta-feira (17). No começo da tarde, já havia sido realizada uma vigília pela democracia, no mesmo local. Por volta das 16h, o presidente golpista fez um pronunciamento onde garantiu que não renunciaria.

“Neste momento, há atos públicos em diversas regiões do Rio Grande do Sul, como Caxias do Sul, Pelotas, Santa Maria, Rio Grande  e Pelotas, e em outros estados. E nós estaremos aqui de novo amanhã, domingo realizaremos um grande ato na Redenção e não sairemos das ruas até derrotarmos esse governo golpista e termos eleições diretas”, prometeu o presidente da CUT-RS, Claudir Nespolo.

“Temos hoje cerca de 14 milhões de desempregados no Brasil que não podem esperar até 20128. Não será essa corja de ladrões de direitos e de ladrões propriamente ditos que interromperam o ciclo de avanços sociais no país. Nada substitui a população nas ruas como estratégia para derrotar esse governo usurpador”, disse Claudir.

O dirigente da CUT-RS salientou a necessidade de ampliar a mobilização e a resistência e fazer a denúncia das maldades do governo. “Precisamos da ajuda de todos, porque não vai ser a Rede Globo que irá mostrar isso, mas eles interromperam um ciclo de investimento e crescimento do Brasil”, frisou Claudir ao falar sobre as reformas da Previdência e Trabalhista.

 

Facebook